Derrubando 7 mitos sobre o Linux

Com os novos lançamentos de várias distribuições de Linux chegando nas próximas semanas, eu gostaria de tomar alguns minutos para desmascarar algumas das irregularidades mais gritantes que circulam sobre o Linux. Muitos destes irá soar absurdo para qualquer pessoa com razoável conhecimento sobre o Linux. E o nosso objetivo aqui é difundir o conhecimento para que pessoas desinformadas não espalhem mentiras que venham a denegrir a imagem do Linux. São 7 pecados mitos capitais que vão ser derrubados agora.

Mito 1: Você tem que compilar tudo se instalar o Linux

Todas as principais distribuições Linux vêm em forma binária, e a instalação é essencialmente o mesmo que instalar o Windows a partir do zero – só que muito mais rápida e fácil. Eu posso instalar o Linux a partir do zero, em um disco em branco, e estar pronto para trabalhar em bem menos de uma hora. Note que eu disse “pronto para trabalhar”, não só com a instalação base e pronto para iniciar um longo ciclo de atualização e instalação de service pack.

Mito 2: Linux não tem suporte de hardware

Você pode regularmente instalar o Linux em uma variedade de desktops, notebooks e netbooks, sem quase nunca tropeçar em hardware não suportado. Experimente.

Mito 3: Linux não tem aplicativos

Depende de que aplicativos você quer dizer, e quão flexível você está disposto a ser. Se você é como a grande maioria dos usuários de PC que quer navegar na internet, ler e escrever e-mail, fazer download de fotos digitais de sua câmera, editar e processar essas imagens, e fazer alguns trabalhos de escritório, como processamento de texto e planilhas, então o Linux tem tudo o que você precisa. Em muitos (a maioria) dos casos, os aplicativos do Linux não são apenas “tão bom quanto” os aplicativos Windows, eles são melhores, mais poderosos e mais flexíveis, e ainda são grátis! Se você precisar de mais aplicativos do que isso, existem literalmente milhares de pacotes de software disponíveis para Linux. Hoje, há várias alternativas para atender às suas necessidades.

Mito 4: Linux é difícil e confuso para usar

Por favor, não me faça rir. Ao nível da interface do sistema operacional do usuário, a diferença entre qualquer versão do Windows e qualquer versão do Linux é significativamente inferior à diferença entre o XP e o Vista. É um ambiente de trabalho, que tem barras de menus, botões e ícones. Na verdade, se você pode aprender que o botão para PARAR o Windows está marcado com a palavra INICIAR, então você não terá nenhuma dificuldade para usar o Linux. No nível de aplicativos, a diferença entre o Microsoft Office (qualquer versão) e OpenOffice 3 é muito inferior à diferença entre o MS Office 2003 (ou inferior) e MS Office 2007.

Mito 5: Linux não é confiável

Eu acho que não existe um usuário do Windows neste mundo que pode dizer honestamente que não tenha sofrido um travamento que seja necessário reiniciar. Muitas vezes acontece, e para a maioria dos usuários, a resposta é muito regularmente. Eu honestamente não me lembro a última vez que um de meus sistemas Linux tenha travado. Olhando para o longo prazo, o Windows ainda é corrompedor da máquina. Ao longo do tempo, o disco e o registro do Windows, tornam-se tão mexidos que a solução padrão para o comportamento estranho é formatar a máquina e reinstalar o Windows. No mínimo, há um grande mercado para “Registry Cleaner” e “System Optimizer Software” para Windows. Isto não é o caso do Linux, e eu não tenho conhecimento de qualquer produto de limpeza para Linux porque simplesmente não há necessidade para eles.

Mito 6: Linux é inseguro

Comparado ao Windows, o pináculo absoluto de falhas de segurança, vírus, worms, botnets, e tudo o mais, o Linux em execução é um sonho absoluto. Na verdade, não existe apenas uma vantagem de segurança, mas também dá origem a uma enorme vantagem de desempenho, porque o Linux não está usando enormes pedaços de tempo de CPU, memória e espaço em disco para “AntiVirus” ou “Internet Security Packs” – e os usuários do Linux não tem que pagar por software, e pagar por “assinaturas de atualização de segurança “.

Mito 7: Existem muitas versões diferentes do Linux disponíveis

Quem se importa com quantas versões estão disponíveis, quando você só precisa de um? Se ele funciona para você, e tem o que você quer, então mantenha-o, e esqueça todos os outros. Se você não está feliz com ele, tente um diferente – pelo menos ele não te custará algum dinheiro para continuar tentando até encontrar um que combina com você!

Há certamente uma gama muito maior de mitos que circulam por aí sobre os motivos dos usuários comuns não poderem usar o Linux. Sinta-se livre para adicioná-los aqui como comentários, e vamos ver quais se sustentam.

Helbert Rocha

Business & Linux Admin | Digital Mkter | Live in Rio | Love Jesus
Google+