Microsoft impõe atualizações automáticas no Windows 10

Quer você goste ou não, com o Windows 10 a Microsoft está tomando as rédeas em suas próprias mãos, tornando as atualizações do sistema de forma automáticas e obrigatórias. Em versões anteriores do Windows, a Microsoft permitia que os usuários configurassem como queriam as atualizações do sistema operacional. O Windows Update podia instalar tudo automaticamente, ou não. Então você desativava o recurso ou adiava a instalação de todas as atualizações por muito, muito tempo.

Novas regras de atualização do Windows 10

A imposição se aplica tanto aos usuários domésticos quanto aos empresariais, a menos que o último grupo possua ferramentas dedicadas que lhes permitam ter mais controle sobre como as atualizações serão instaladas. Basicamente, você terá que criar um método para manter o Windows 10 desatualizado.

A versão mais atualizada do acordo de licenciamento do Windows 10 diz que o software verifica periodicamente para o sistema e os aplicativos, atualizações e downloads e instala-os para você. Além disso, você pode obter atualizações somente da Microsoft ou de fontes autorizadas. Ao aceitar este acordo você concorda em receber as atualizações automáticas, sem qualquer aviso adicional.

atualização windows

A Microsoft confirmou que isso irá, de fato, acontecer. Porém será possível para alguns usuários ajustar este comportamento. Talvez será limitado às empresas, que, naturalmente, querem mais controle sobre essas coisas. Percebemos que a empresa sabe que há uma abundância de usuários do Windows que precisam ser protegidos contra si mesmos, e por serem tão mal informados, eles desativam o Windows Update simplesmente porque não querem ver as notificações que aparecem quando o sistema não foi atualizado por um longo tempo. E essa medida radical visa livrar a empresa da culpa quanto ao desempenho e segurança do seu sistema.

desktop windows 10

Outra coisa a se notar é que, ao tornar as atualizações automáticas e obrigatórias, será mais fácil para manter os sistemas dos usuários atualizados depois de se lançar grandes atualizações, e não apenas pequenas atualizações e correções de segurança. Se, por exemplo, houver um Windows 10.1, seria possível tê-lo na maioria das máquinas logo depois de disponibilizado. Tal abordagem evitaria o desastre do Windows 8, onde há ainda muitos usuários – 2,9 por cento de todos os usuários de PC – com o Windows 8, apesar do Windows 8.1 ser oferecido como uma atualização gratuita. Este é um problema com que a Microsoft não quer lidar novamente, e se é possível evitá-lo…

Conclusão

Muitos apoiam essa decisão da Microsoft, já que ela ajudará a manter as máquinas de certa forma mais atualizadas e “seguras”. Mas existe um risco embutido da Microsoft lançar uma atualização que cause bugs e crashs em massa. Fora isso, entre em pauta mais do que nunca a questão da soberania do indivíduo e a privacidade dos dados dos usuários. Quem nos garantirá que a empresa, além de empurrar as atualização, também não puxará dados considerados relevantes sem o consentimento do cliente? Entre os futuros mortos e feridos, salvar-se-ão os usuários do Linux. Cada vez mais felizes com a transparência e o controle do sistema em suas próprias mãos.

Helbert Rocha

Business & Linux Admin | Digital Mkter | Live in Rio | Love Jesus
Google+

  • Anderson Cardoso
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Não disseram nada sobre os serviços do sistema, podendo assim entrar no que diz “windows update” e deixar desativado. Uso o win8 no meu pc de jogos e de tempos em tempos busco manualmente detesto ser obrigado a instalar algo ou mesmo ter downloads em segundo plano.