Ubuntu vs Mint: qual é o melhor?

Ubuntu vs Mint. Essas são as mais populares distribuições Linux, mas quais são as suas diferenças e qual delas é a melhor? O Linux Mint dá a cada nova versão um nome feminino terminado na letra A. Já o Ubuntu apresenta suas versões com um número que representa o ano e o mês de lançamento da versão. Essas são apenas características superficiais desses dois excelentes sistemas. Vamos continuar aprofundando nossos conhecimentos nesses dois sistemas? Contamos com a sua presença nessa jornada.

História

Nem todo mundo que se afasta do Windows adquire necessariamente um Mac. E se você ainda gosta do seu computador antigo, mas não quer que ele execute um sistema operacional da Microsoft, instalar o Linux pode muito bem ser o caminho a seguir. Há muitas versões do Linux mas duas delas são as mais populares: Mint e Ubuntu, e ambas são boas opções para o usuário iniciante. No entanto, quais são as diferenças entre as duas distribuições?

Se você é novo no Linux, você pode não saber disso, mas o Linux Mint é baseado no Ubuntu. E o Ubuntu é baseado no Debian. A primeira versão do Ubuntu foi lançada em outubro de 2004 e desde então fornece atualizações a cada seis meses. Seus pacotes são baseados no formato de pacote deb do Debian (.deb). O Debian surgiu pela primeira vez em 1993. O Linux Mint foi lançado em 2006. Baseava-se no KDE do Ubuntu (conhecido como Kubuntu) e usava repositórios de software do Ubuntu. Há duas versões do Linux Mint por ano que saem cerca de um mês depois da atualização do Ubuntu. Enquanto o Ubuntu tem a Canonical por trás para executar o seu desenvolvimento, o Linux Mint depende apenas de usuários individuais e empresas que utilizam o sistema operacional para atuar como patrocinadores, doadores e parceiros. Os comentários de todas as partes ajudam as decisões sobre o seu desenvolvimento.

Ubuntu vs Mint

Interfaces

Antes de entrarmos nas interfaces, vamos continuar falando sobre os nomes. O Ubuntu também usa apelidos nas suas versões. Esses apelidos consistem de um adjetivo e o nome de um animal mas que comece com a mesma letra do adjetivo. Por exemplo: a versão 15.04 se chama “Vivid Vervet”. Tá bom! É uma baita babaquice. Vamos pular então para as interfaces. Embora o Mint seja baseado no Ubuntu, eles desenvolveram seus próprios desktops, e eles são completamente diferentes. É como se o Linux Mint se parecesse mais com o Windows (XP, Vista, 7), enquanto o Ubuntu se parece mais com o OS X.

O Ubuntu usa uma interface chamada Unity que possui um dock lateral na esquerda da tela. Ele agrupa ícones para diversas aplicações, como Firefox e Libre Office. Na direita da barra de menu no topo da tela ficam ícones menores para rede, língua, som, hora, data e outras coisas. Outras aplicações podem ser acessadas a partir do menu Dash do Ubuntu, clicando no ícone localizado na parte superior do dock. Ali você pode digitar o nome de um programa que pretende encontrar e o Dash vai tentar localizá-lo.

Já o Linux Mint tem uma interface chamada Cinnamon. É semelhante ao Windows pois coloca a barra de tarefas na parte inferior e tem um menu Iniciar semelhante ao SO da Microsoft. Aplicativos abertos ficam como um botão (novamente muito parecido com o Windows 7). Atalhos também podem ser adicionados à barra de tarefas, que pode parecer um pouco pequena no modo padrão.

Ambas as abordagens têm vantagens e desvantagens. O Mint é muito mais fácil para navegar e encontrar aplicativos, enquanto que o Dock do Ubuntu pode ser muito útil em determinadas situações. No mais, o Mint é mais fácil para os iniciantes pesquisarem.

Qual o seu gosto?

Há outras distribuições variantes tanto do Ubuntu quanto do Linux Mint. Para o Ubuntu, há uma variedade de versões desktop com diferentes ambientes de desktop. Tem o Ubuntu GNOME, Kubuntu (KDE), Lubuntu (LXDE), Xubuntu (Xfce) e Ubuntu MATE. O Linux Mint vem com Cinnamon ou MATE, mas também existem versões em KDE e Xfce. Versões em GNOME, LXDE e Fluxbox não estão mais sendo desenvolvidos.

Performance

Se você tem uma máquina relativamente nova a diferença entre Ubuntu e Linux Mint pode não ser tão perceptível. O Mint pode parecer um pouco mais rápido no uso do dia a dia, mas no hardware mais antigo ele será muito mais rápido. O Ubuntu fica mais lento quanto mais velha a máquina é. O Linux Mint fica mais rápido ainda quando roda o MATE, assim como o Ubuntu.

Custo

Nem o Ubuntu, nem o Linux Mint custa algo para comprar. O Linux Mint é um projeto dirigido pela comunidade, e como tal, depende de doações dos usuários, patrocinadores (como empresas de hospedagem) e parceiros (que dão o apoio, suporte e serviços). O Ubuntu é de uma empresa comercial. Você é livre para baixar, instalar e usar o Ubuntu, mas se você precisar de suporte profissional isso tem um preço.

Atualizações

Tanto o Linux Mint quanto o Ubuntu são fáceis de usar. Para atualizar o Ubuntu basta clicar no ícone do Software Updater ou Atualizador de Software. Ele, então, verifica se há atualizações (tanto para o sistema operacional e as aplicações), transfere-as e instala-as. No Linux Mint é um processo muito semelhante. Você usa o Update Manager para atualizar o sistema operacional e os aplicativos.

Resumo da ópera

Ambos os sistemas operacionais vêm com uma série de aplicativos pré-instalados, como navegadores web, mensageiros instantâneos, tocadores de música e vídeo, editores de imagem e assim por diante. Dito isto, se você quiser um aplicativo que não está instalado, os dois sistemas operacionais têm “App Store”, onde você pode o encontrar facilmente e fazer o download do programa. O Ubuntu também possui aplicativos pagos, enquanto o Linux Mint não. A Canonical tem feito grandes esforços no sentido de colocar o seu Ubuntu nos desktops de usuários corporativos. Também tem conseguido emplacar em alguns fabricantes de PC uma pré-carga do Ubuntu para desktops e laptops.

Já o Linux Mint é muito voltado aos entusiastas. Não há preocupação aparente em comercializar essa distribuição para as empresas. Apenas em ser um substituto capaz de encantar aquele usuário do Windows 7 (ou mesmo XP) que não tem nenhum desejo de mudar para o Windows 8 ou 10.

Se você tem um hardware mais novo e quer pagar por serviços de suporte, o Ubuntu é o único caminho a seguir. No entanto, se você está procurando apenas uma alternativa despretensiosa ao Windows, Linux Mint é a sua escolha. É uma decisão realmente difícil porque o Unity não cai no gosto de todos, e o Cinnamon pode parecer um pouco antiquado. No final, a escolha acaba sendo uma questão de preferência.

Helbert Rocha

Business & Linux Admin | Digital Mkter | Live in Rio | Love Jesus
Google+

  • Yasser Hanzi
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Instalei o Mint com Xface para testar e acabei migrando pra valer, e estou bastante satisfeito, o Unity tava cada vez mais ~guloso~ ainda mais quando usava em conjunto com o Chrome ou coisas pesadas como edição de audio e etc.

  • Marcos Alberto Marques Dias
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    O Linux Mint na sua versão KDE é mais parecido com o Windows em vários aspectos do que o Linux Mint Cinnamon. No final das contas a única diferença que existe entre um sistema e outro é a interface gráfica pois o projeto Linux Mint usa praticamente todos os repositórios da versão LTS do Ubuntu. Basta dar uma olhada na Source List pra ter uma ideia. Os dois são ótimas opções com o Linux Mint levando uma certa vantagem por trazer Codecs e Flash pré-instalados. O Ubuntu é superior em relação ao desktop pois o Unity oferece uma infinidade de opções a mais do que o Cinnamon ou Mate Desktop. Talvez a única versão do Linux Mint que consiga brigar de igual pra igual com o Ubuntu seja o Linux Mint KDE mas de qualquer forma o Unity permanece insuperável. Eu usaria as duas sem qualquer problema dando preferência para o Ubuntu por ter uma comunidade bem maior, documentação bem melhor detalhada e um suporte tanto da comunidade como pago bem grande.

    • VaGNaroK Alkimist
      Unknown Unknown no Unknown Unknown

      Tenta instalar drives da nvidia numa interface kde pra tu ver, buga tudo. só nas interfaces baseadas no gnome que funciona legal. Por isso uso o linux mint cinnamon, pois foi aonde me senti melhor no funcionamento e leveza (sem falar que os drives proprietários da nvidia não buga o ambiente).

      • Gabriel Santoi
        Unknown Unknown no Unknown Unknown

        Meu windows bugou tudo, tentei fazer um cd de instalação usando uma partição do HD com Winodws 7, deu problema, tentei fazer com Ubunto, deu problema. Dai fiz com linux Mint + Mate :3 me salvou, aquele tal windows 10 é o maior lixo que ja vi. Ubunto ja tive uma experiencia, estou no grupo de Leandro ali em cima. Não gosto daquele desktop, tentei instalar Ubunto por conta da comunidade ser maior, mas não sabia que o Linux havia avançado tanto =3 , melhorou bastante desde que pulei fora. Na época era tudo no terminal, hoje em dia tem terminal e visual o que facilita pra usuários domésticos =)

        • Luiz Carlos Querido
          Unknown Unknown no Unknown Unknown

          Engraçado. comigo foi o contrário. O Urubu acabou com minha partição Windows e detonou meu Mint. Recuperei com a midia do W10 em modo texto. Hardware é sempre uma aventura.

          MeuPinguim responde: Urubu?

    • Leandro Jacomini
      Unknown Unknown no Unknown Unknown

      Olha Marcos, a única razão pela qual eu não uso o Ubuntu é o Desktop deles. Não consegui gostar do Unity. Essa foi uma das razões, também, pela qual deixei de usar o Debian, que foi a primeira distro que usei. O Gnome 3 ficou muito complicado, não achei tão usual. Já o Cinnamonn é muito mais fácil de ser usado, por ser parecido com o Explorer do Windows. A única coisa que eu não gostei foi o gerenciador de arquivos, que não é tão usual assim. Tirando o Unity, o Ubunto é excelente. Se tivesse o Gonme2, voltaria facilmente para esta distro.

      • Paulo Guarnieri
        Unknown Unknown no Unknown Unknown

        Instala o Cinnamon no Ubuntu. Eu instalei até o nemo no Ubuntu. Ta igualzinho o Mint, só que sem os bugs. Mint é bugado, não da.

      • Paulo Papitto
        Unknown Unknown no Unknown Unknown

        Eu sou novato no mundo linux, quase virgem em computadores. Atualmente uso o ubuntu-MATE(15.10) num e o linux-mint-XFCE(17.3) noutro. Estou muito satisfeito com os dois, tem tudo em ambos. Já testei de tudo, mas me apaixonei por esses dois. Boa sorte e um grande abraço .

        Paulo

    • Luciano Carvalho
      Unknown Unknown no Unknown Unknown

      É isso aí. A única observação que faço quanto às diferenças entre ubuntu e mint é que elas vão um pouco além da interface gráfica. O sistema de atualizações do mint funciona de forma diferente do ubuntu. No mint existem 5 níveis de atualização, nas quais a 4 e 5 (referentes a elementos de sistema, como o kernel), não são abertas para atualizações, evitando assim maiores instabilidades. O gerenciador de softwares também é diferente.

  • Carlos Rodrigues
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Bom post sem dúvida, técnico e exclarecedor, agradeço também ao – vagnarok Alkimist/ pelos excarecimentos em relação aos drivers Nvidia, pois, eu estava em dúvida qual dos dois ambientes gráficos instalo-KDE ou Cinnamon, e devido ao post, fique exclarecido.

    Obrigado.

  • Glauber Silva
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Minha experiência com Ubuntu é muito maior que com o Mint, então minha análise não é 100% imparcial. No Ubuntu cheguei a instalar 4 interfaces, entre elas Cinnamon e MATE. Todas funcionando perfeitamente. Já no Mint, alem de nao conseguoir fazer isso, uma coisa me incomodou muito: tudo era muito verde rsrs

  • Ítalo
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Eu gosto do unity. O autor da prioridades ao mint. Mas o ubuntu é muito melhor. Lembrando que o mint é baseado no ubuntu.

  • jon jon goufema liames zenbin
    Unknown Unknown no Unknown Unknown

    Eu venho do Xenial Puppy Linux do projeto Debian Dog..não é uma refisefuqui usei o Openbox combinado com o Rox e o PcmanFm pras pastas achei rapido pra chuchu…depois testeu o Mint Cinnamon…cara linux sempre terâ tres fundamentos:Instalador de programas e drivers,terminal pra comandos diretos e gerenciador de Arquivos e pastas,independente do ambiente grafico e da distribuição é sempre estas tres coisas que são o”basico do basico”que o cara precisa saber pra usar o Linux…quem usa Android já tem uma ideia como o linux é e pode partir pra o desktop com os mesmos fundamentos…